EUA RECONHECEM IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DO PORTO DE SINES COMO HUB DE GNL ATLÂNTICO

Os Estados Unidos reconhecem a importância estratégica do Porto de Sines como hub de GNL atlântico (Gás Natural Liquefeito). Disseram isso mesmo à ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, no âmbito da 18ª edição da World LNG Summmit, que se realiza em Lisboa (27 de Novembro a 1 de Dezembro).

E, por isso, assinaram uma declaração conjunta com Portugal que sublinha essa importância e a relação Portugal-EUA na promoção do GNL marítimo como factor de reforço da diversificação da segurança energética europeia, de melhoria do desempenho ambiental do transporte marítimo e de reforço da sustentabilidade da economia azul, com uma indústria geradora de empregos qualificados e inovação tecnológica.

No âmbito do evento, a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, reuniu com uma delegação de alto nível de diplomacia energética do Department of State dos Estados Unidos. Do lado norte-americano participaram o Deputy Assistant Secretary of State for Energy and Natural Resources, John McCarrick e o Embaixador dos EUA em Lisboa, George Glass. Daí resultou a Declaração Conjunta de Portugal e Estados Unidos da América sobre a cooperação no GNL Marítimo, Economia Azul e Segurança Energética, no quadro da Comissão Bilateral Portugal-EUA.

Durante a reunião bilateral realizada entre as delegações políticas de Portugal e EUA, no âmbito da World LNG Summit, foi sublinhado como mutuamente benéfico o aumento da cooperação entre os dois países no domínio do gás natural liquefeito (GNL).

PRIMEIRA CARGA EM 2016

O Porto de Sines recebeu a primeira carga de GNL para a Europa em 2016 e continuou a ser o destino europeu número um para o GNL dos EUA. “As exportações de GNL dos EUA contribuem para a criação de empregos no sector energético, contribuem para diminuir os preços energéticos, ajudam a reforçar a segurança energética europeia e reduzem as emissões do sector do shipping”, realça uma nota do Ministério do Mar.

As delegações políticas portuguesa e norte-americana enfatizaram o progresso realizado na relação energética bilateral que contribuirá para um sector do shipping e uma economia do oceano mais sustentável. Concordaram em continuar a cooperação na energia e na economia azul, no quadro da Comissão Bilateral Portugal-EUA.

O Departament of State dos EUA e o Ministério do Mar “continuarão a trabalhar em conjunto para ajudar a Europa a diversificar os seus fornecimentos energéticos através de novas fontes de gás natural, novas interligações vitais, novas infraestruturas de GNL marítimo e de importação de GNL”, acrescenta a mesma nota do Ministério liderado por Ana Paula Vitorino.

Fonte: APP



Deixe uma resposta

pt_PTPortuguese
en_GBEnglish pt_PTPortuguese